Tipos de câncer de mama

“Câncer” é o nome que se dá para tumores (ou neoplasias) que possuem a capacidade de invadir tecidos vizinhos (outras células) e, finalmente, cair na corrente sanguínea e chegar em outros órgãos e tecidos, causando as metástases.

Existem muitos tipos diferentes de câncer. De acordo com o local de origem, o câncer será tratado de maneira diferente. Por exemplo, câncer de pulmão (aquele que se originou nas células do pulmão: câncer PRIMÁRIO do pulmão) será tratado de maneira diferente do câncer que se originou na mama e levou a metástases nos pulmões (câncer SECUNDÁRIO ou METASTÁTICO de mama para os pulmões).

Desta forma, não é correto achar que um tratamento que resolveu o problema de alguém com câncer de estômago funcionará da mesma maneira para alguém com câncer de próstata.

Com o avanço das pesquisas em câncer, os estudos dos genes alterados (ver figura 1) existentes no câncer de mama de diversas pacientes mostraram que há muitos tipos BIOLÓGICOS diferentes de câncer de mama.

 

Figura 1 – Os núcleos das células do nosso organismo possuem o material genético responsável pelas características que temos dentro dos cromossomos. Da mesma forma, os núcleos das células de um câncer possuem o material genético responsável pelas características daquele câncer. Os cromossomos são formados por vários genes que formam filamentos, os quais se condensam formando a cromatina (que nada mais é que um aglomerado de genes no formato clássico do cromossomo). Um gene é um segmento de DNA, que serve de código para produzir proteínas que farão parte da constituição do organismo. Mutações são alterações na sequência do gene, que levam a sequencias alteradas e proteínas mutantes e, por consequência, funções alteradas dessas proteínas. A alteração de algumas proteínas –chave na regulação da multiplicação celular/morte celular podem levar ao aparecimento de um câncer.

 

Dos mais de 6 subtipos genéticos de câncer de mama identificados, os que tem importância até o momento, para definição de tratamento (antes ou após cirurgia) e prognóstico, são:

câncer de mama luminal: as células expressam receptores hormonais (RH, para estrogênio e/ou progesterona); podem ser luminais tipo A (mais expressão de receptores) ou tipo B (menos expressão de receptores e maior velocidade de crescimento); quando maior for a expressão de RH, maior será a chance da paciente responder ao tratamento com hormonioterapia; pode haver indicação de quimioterapia também, principalmente no caso de tumores luminais B;

câncer de mama HER2-positivo: as células apresentam super-expressão do receptor para o fator de crescimento HER2; podem ter ou não expressão de receptores hormonais; as pacientes precisam receber bloqueio do HER2 com anticorpos monoclonais ou inibidores de tirosino-cinase, além de quimioterapia;

câncer de mama triplo-negativo: as células não expressam receptores hormonais nem receptor HER2 (ausência dos 3 receptores); o tratamento da paciente depende apenas de quimioterapia.

 

Referências (com link para artigos na íntegra)

  1. Perou CM, Sorlie T, Eisen MB et al. Molecular portraits of human breast tumours. Nature 2000Aug 17;406(6797):747-52. Artigo na íntegra: Perou 2000
  2. Sorlie T, Perou C, Tibshirani R et al. Gene expression patterns of breast carcinomas distinguish tumor subclasses with clinical implications. Proc Natl Acad Sci U S A. 2001 Sep 11; 98(19): 10869–10874. Artigo na íntegra: Sorlie 2001
  3. Prat A, Perou CM. Deconstructing the molecular portraits ofbreastcancer. Mol Oncol 2011 Feb;5(1):5-23. Artigo na íntegra:Prat & Perou 2011
  4. Cejalvo JM, de Dueñas EM, Galván P et al. Intrinsic subtypes and gene expression profiles in primary and metastatic breast cancer. Cancer Res 2017;77(9):2213-21. Artigo na íntegra: Cejalvo 2017

 

 

 

 


Notice: Undefined variable: nome in /home/infomama/public_html/wp-content/themes/infomama2016/single.php on line 32