Tatu ou soldado guerreiro?

E estamos nos encaminhando para a 3a quimioterapia do protocolo que prescreve 4 sessões da chamada “quimio vermelha”, que dizem ter muito mais efeito nocivo e gerar mais efeitos colaterais. O corpo anda super cansado, sentindo os efeitos da medicação, mas mesmo assim, a luta segue com sorriso no rosto.

Eu, pessoalmente, não consegui mais trabalhar, pois, como me dedico 100% ao que faço, fica complicado exercer minha função.

Então, entre sono e insônias, procuro me ocupar da forma que posso, e assim como aproveito pra dormir dias inteiros, sem peso algum na consciência, pois este momento é MEU, também aproveito pra fazer as coisas que posso, quero e consigo! Esta fase é aquela em que DEVEMOS nos preocupar apenas conosco, com nosso bem estar, ser egoísta e fazer só aquilo que vai nos fazer BEM!

Mesmo já tendo vencido o câncer, que foi muito fácil no meu caso, bastando fazer a cirurgia e remover o nódulo e os linfonodos axilares, a grande luta é vencer esse período de tratamento quimioterápico, o qual, sem dúvidas, é bem mais difícil.

Quando me perguntam como estou, a resposta é padrão: entre altos e baixos, quedas e subidas, vou bem. Ao dizer isso no dia de hoje, para uma querida pessoa da família, ela me olhou e disse: o mais importante é passar pelos baixos e pelos momentos difíceis, mas se manter de pé, na luta, com toda a tua força.

E esta é a grande verdade pra enfrentar tudo que envolve um tratamento para câncer. Estou sofrendo absolutamente TODOS os efeitos da quimioterapia, vaidade comprometida, movimentos limitados pela cirurgia, mas em pé e buscando formas de não cavar um buraco para me enfiar igual a um tatu.

Novamente, eu divido com vocês: viver este tratamento não é fácil, mas com força, fé e positividade, tudo se torna mais simples.Eu valorizo as coisas boas que estou vivendo e, na hora do desespero (que é evidente que vem), não deixo ele tomar conta de mim, vou logo fazer algo que me dê prazer ou tirar uma soneca pra isso passar, pois não me permitirei ser um tatu, mesmo!!!

E você, prefere vencer esta guerra como???? Se escondendo durante as batalhas, que nem um tatu no seu buraco???? Ou prefere se vestir de uma linda armadura chamada sorriso e vencer essa guerra com toda a sua garra?

Eu prefiro assumir uma posição, tomar a frente e seguir com a fé e com a certeza de que tudo acabará bem, mesmo nos dias ruins (que existem e não podemos fingir que não).

Positividade, vontade de viver e de vencer, com sorriso no rosto, são as melhores armas para se utilizar nesta tormenta, só restando aguardar a vitória, que é certa se a enfrentamos assim!

Fiquem bem garotas, tudo dará certo!!!!!


Evelise de Freitas Fatori
Advogada
Porto Alegre, RS


Notice: Undefined variable: nome in /home/infomama/public_html/wp-content/themes/infomama2016/single.php on line 32