Sistema BI-RADS®

O sistema BI-RADS® foi criado em 2003 pelo Colégio Americano de Radiologia, com o objetivo de padronizar os laudos de mamografia, ecografia mamária e ressonância magnética mamária e, desta forma, unificar a linguagem mundialmente. No final do laudo do exame de imagem, o médico radiologista fornece uma classificação de acordo com o risco de câncer de mama.

A última atualização foi realizada em 2013 e seguem suas categorias:

Categoria 0: Exame incompleto: requer avaliação adicional por imagem e/ou exame anterior para comparação
Categoria 1: Negativa
Categoria 2: Achado(s) benigno(s)
Categoria 3: Achado(s) provavelmente benigno(s)
Categoria 4: Achado(s) suspeito(s)
– Categoria 4A: Baixa suspeita de malignidade
– Categoria 4B: Moderada suspeita de malignidade
– Categoria 4C: Alta suspeita de malignidade
Categoria 5: Achado altamente sugestivo de malignidade
Categoria 6: Malignidade comprovada por biópsia

A maioria das pacientes são classificadas na categoria do BI-RADS 2, que inclui achados benignos, entre eles cistos simples (figura 1), linfonodos intramamários, calcificações tipicamente benignas e nódulos circunscritos (figura 2) estáveis há mais de 2 anos.

Figura 1 – Cisto mamário.

Figura 2 – Nódulo circunscrito
.

 

As categorias que necessitam de investigação adicional (positivas) estão descritas na tabela abaixo.

Tabela – Categorias positivas.

Categoria BI-RADS Achados mais frequentes Chance de câncer (VPP*) Recomendação
3 Nódulos circunscritos

Cistos complicados (conteúdo espesso)

Grupo de calcificações redondas

Assimetrias

< 2% Controle em 6 meses.

Após 12 meses sem modificação, controle anual.

4 Nódulos novos, irregulares ou indistintos

Distorções arquiteturais

Calcificações pleomórficas finas, heterogêneas grosseiras e amorfas

Assimetrias em desenvolvimento (novas)

4A – 2% a 10%

4B -10% a 50%

4C- 50% a 95%

Biópsia e estudo histológico
5 Calcificações novas pleomórficas finas ramificadas segmentares (figura 3)

Nódulos espiculados (figura 4)

> 95% Biópsia e estudo histológico

 

 

*VPP: valor preditivo para um resultado positivo para câncer.

 

Figura 3 – Calcificações pleomórficas finas.

Figura 4 – Nódulo espiculado.

 

 


Cláudia Baldissera Demarchi
Médica Radiologista Especialista pelo CBR/AMB
Porto Alegre, RS


Andrea T. Cadaval Gonçalves
Médica Radiologista Especialista pelo CBR/AMB
Porto Alegre, RS

 

Referências
1.’Orsi CJ, Sickles EA, Mendelson EB, et al. ACR BI-RADS Atlas, Breast Imaging. Reporting and Data System. Reston, Va: American College of Radiology, 2013.
2.Liberman L, Abramson AF, Squires FB, Glassman JR, Morris EA, Dershaw DD. The breast imaging reporting and data system: positive predictive value of mammographic features and final assessment categories. AJR Am J Roentgenol. 1998 Jul;171:35-40.
3.Chris K. Bent, Lawrence W. Bassett, Carl J. D’Orsi, and James W. Sayre. The Positive Predictive Value of BI-RADS Microcalcification Descriptors and Final Assessment Categories. American Journal of Roentgenology 2010 194:5, 1378-1383


Notice: Undefined variable: nome in /home/infomama/public_html/wp-content/themes/infomama2016/single.php on line 32