Outros tumores após tratamento do câncer de mama

Ter um diagnóstico de câncer e fazer um tratamento oncológico sempre é motivo de preocupação, mas, hoje em dia, os resultados destes tratamentos têm melhorado consideravelmente e os índices de cura e remissão a longo prazo tendem a ser cada vez mais promissores.

As pessoas que já tiveram um tipo de tumor podem ter um risco mais elevado para apresentar uma segunda neoplasia na vida e, por isto, a prevenção e o rastreamento com exames são parte essencial dos controles a serem feitos após o tratamento. As pacientes que tiveram diagnóstico de câncer de mama antes dos 50 anos ou que possuem vários casos de câncer na família, realizar avaliação genética é importante para definir uma rotina de prevenção individualizada.

Cuidados gerais no estilo de vida são essenciais na prevenção primária de vários tipos de tumores malignos. Não fumar ou parar de fumar é uma atitude importante na prevenção primária do câncer e também tem impacto positivo nos resultados dos tratamentos. Tumores como de pulmão, cabeça e pescoço, bexiga, intestino, entre outros, são diretamente relacionados ao cigarro.

Atividade física regular e combate à obesidade também são pilares da prevenção primária ao câncer e da sua recidiva. Fazer atividades físicas regularmente, mesmo que leves, como caminhar, tem impacto positivo em vários tipos de câncer. O combate à obesidade é um assunto cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, onde vemos nossa população cada vez mais obesa e o ganho de peso iniciando cada vez mais precocemente. Diminuir a ingestão de alimentos com alto potencial para ganho de peso (como os doces, refrigerantes e carboidratos simples como pães), bem como de alimentos industrializados, são medidas eficientes no combate à obesidade. Além disto, precisamos aumentar a ingestão de alimentos nutritivos como verduras, legumes e frutas, entre outros.

Outras medidas que tem impacto na prevenção de diversos tipos de câncer são: evitar o consumo de excessivo de álcool, evitar exposição exagerada ao sol no caso dos tumores de pele e, uso de preservativo (camisinha) para evitar tumores relacionados a vírus como o HIV, papiloma vírus humano (HPV) e hepatites, além de outras doenças sexualmente transmissíveis.

No que se refere a exames preventivos e de rastreamento, aqui seguem alguns tipos de tumores onde as consultas preventivas e exames são essenciais:

Colo do útero: Além da vacina, que recentemente foi implementada para prevenção de infecção pelo HPV, indicada para adolescentes antes do início da atividade sexual, o tradicional exame do Papanicolau (exame citopatológico do colo uterino) é um exame de prevenção efetivo que diagnostica lesões precursoras do câncer de colo do útero e deve ser realizado a cada 1-2 anos por todas as mulheres.

Intestino: este é um dos tumores que vem tendo um crescimento em nosso meio e tem uma estratégia de prevenção muito eficaz pois, através do exame de colonoscopia, é possível diagnosticar e remover as lesões precursoras do câncer – os pólipos intestinais.

Pele: a detecção de lesões de pele precursoras de tumores como o melanoma é fundamental para a prevenção e detecção precoce, onde a consulta com o médico dermatologista e o exame completo da pele do paciente é eficiente e de fácil execução. Pessoas com pele clara, cabelos ruivos, sardas ou muitos sinais de pele devem fazer consultas dermatológicas regulares desde os 20-25 anos de idade.

Pulmão: O câncer de pulmão está ligado ao tabagismo na maioria dos casos; assim, a medida mais importante é parar de fumar e consultar o médico pneumologista. Também é recomendado realizar tomografia de tórax para pacientes com mais de 55 anos e que fumaram por vários anos, para detecção precoce do câncer de pulmão

Fígado: o câncer de fígado, na maioria das vezes, está associado à cirrose hepática, que pode ser secundária à infecção crônica pelos vírus da hepatite B ou C. A hepatite B tem vacinação, que deve ser mantida atualizada a cada 5-10 anos. A hepatite C ainda não tem vacina, mas a realização de exames de sangue para detecção precoce do vírus é essencial no sucesso do tratamento, evitando a progressão para a cirrose e o câncer.

Em vários outros tipos de câncer, o diagnóstico precoce pode ser feito, assim sendo, é importante a manutenção de consultas médicas regulares para prevenção e controle, mesmo após o câncer de mama ter sido considerado curado.

 

Rafael Castilho Pinto
Médico Proctologista e Colonoscopista
Porto Alegre, RS

 

Referências

  1. American Cancer Society: Cancer Facts and Figures 2017. Atlanta, Ga: American Cancer Society, 2017.
  2. Colorectal screening. NCCN Clinical Practice Guidelines in Oncology (NCCN Guidelines) Version 2016.2 (https://www.nccn.org/professionals/physician_gls/pdf/colorectal_screening.pdf)
  3. Lung cancer screening. NCCN Clinical Practice Guidelines in Oncology (NCCN Guidelines) Version 2017.1 (https://www.nccn.org/professionals/physician_gls/pdf/lung_screening.pdf )NCCN 2017.1_lung_screening
  4. Genetic/familial high-risk assessment: Breast and Ovarian. NCCN Clinical Practice Guidelines in Oncology (NCCN Guidelines) Version 2017.2 (https://www.nccn.org/professionals/physician_gls/pdf/genetics_screening.pdf)NCCN 2017.2_genetics_screening
  5. 2013 Statement on Human Papillomavirus DNA Test Utilization. Cancer Cytopathology, Feb 2014.2013 Statement on HPV
  6. Instituto Nacional do Câncer: inca.gov.br/estimativa/2016/tabelaestados.asp?UF=RS

 


Notice: Undefined variable: nome in /home/infomama/public_html/wp-content/themes/infomama2016/single.php on line 32