Medicina Integrativa no câncer de mama


Definições importantes

  • Medicina complementar: tratamentos utilizados para complementar os tratamentos médicos convencionais.
  • Medicina alternativa: tratamentos utilizados em substituição aos (ou no lugar dos) tratamentos médicos convencionais.
  • Medicina integrativa: uso coordenado de práticas e tratamentos complementares em conjunto ao tratamento convencional, baseado em evidências científicas.

Na oncologia, o uso da medicina integrativa tem o objetivo de melhorar o bem estar e a qualidade de vida e de aliviar efeitos adversos decorrentes da doença e do tratamento convencional.

Graus de recomendação do tratamento integrativo

  • Grau A: há alto grau de convicção de que o beneficio seja substancial;
  • Grau B: há alto grau de convicção de que o beneficio seja moderado;
  • Grau C: recomendação deve ser individualizada, para pacientes selecionados (há moderada convicção de que o benefício seja pequeno);
  • Grau D: a recomendação é contra o tratamento (há moderada ou alta convicção de que não haja benefício; recomenda-se descontinuar a terapia);
  • Grau H: a recomendação é contrária ao tratamento.


Recomendações para uso da medicina integrativa durante tratamento do câncer de mama

Tratamento da ansiedade (e graus de recomendação):
– Meditação (grau A);
– Musicoterapia (grau B);
– Programas de longa duração para manejo do stress (grau B);
– Yoga (grau B);
– Acupuntura, massagem e relaxamento (grau C).

Tratamento de náuseas e vômitos induzidas pela quimioterapia (e graus de recomendação), em adição aos medicamentos anti-eméticos:
– Acupuntura (grau B);
– Uso de gengibre (grau C);
– Relaxamento (grau C);
– Glutamina (grau D) – não recomendada.

Tratamento da dor (e graus de recomendação):
– Acupuntura (grau C);
– Técnicas de hipnose (grau C);
– Musicoterapia (grau C).

Tratamento de depressão e distúrbios do humor (e graus de recomendação):
– Meditação (grau A);
– Relaxamento (grau A);
– Yoga (grau B);
– Massagem (grau B);
– Musicoterapia (grau B);
– Acupuntura (grau C).

Tratamento da fadiga (e graus de recomendação):
– Técnicas de hipnose (grau C);
– Acupuntura (grau C);
– Yoga (grau C);
– Acetil-L-carnitina e guaraná (grau D) – não recomendados.

Tratamento do linfedema – edema linfático após cirurgia de retirada dos linfonodos (e graus de recomendação):
– Tratamento com laser em baixa intensidade (grau C);
– Drenagem linfática manual (grau C);
– Enfaixamento do membro com bandagem compressiva (grau C).

Melhora da qualidade de vida (e graus de recomendação):
– Meditação (grau A);
– Yoga (grau B);
– Acupuntura (grau C);
– Reflexologia, qigong (exercício de origem chinesa, com movimentos repetitivos, que trabalha o cultivo da energia) e manejo do stress (grau C).

Tratamento dos distúrbios do sono (e graus de recomendação):
– Yoga (grau C).

Tratamento dos fogachos (e graus de recomendação):
– Acupuntura (grau C);
– Soja (grau D) – não recomendado.

É importante lembrar que os tratamentos integrativos são usados EM CONJUNTO COM A MEDICINA CONVENCIONAL (alopática), nunca substituindo os tratamentos cientificamente comprovados.

 


Daniela Dornelles Rosa, PhD
Médica Oncologista
Porto Alegre, RS

Referências
1. Greenlee H, DuPont-Reyes MJ, Balneaves LG et al. Clinical practice guidelines on the evidence-based use of integrative therapies during and after breast cancer treatment. CA Cancer J Clin 2017 May 6;67(3):194-232
2. Boon HS, Olatunde F, Zick SM. Trends in complementary/alternative medicine use by breast cancer survivors: comparing survey data from 1998 and 2005 [serial online]. BMC Womens Health 2007;7:4.
3. Greenlee H, Kwan ML, Ergas IJ, et al. Complementary and alternative therapy use before and after breast cancer diagnosis: the Pathways study. Breast Cancer Res Treat 2009;117:653-665.
4. Greenlee H, Balneaves LG, Carlson LE et al. Clinical practice guidelines on the use of integrative therapies as supportive care in patients treated for breast cancer. J Natl Cancer Inst Monogr 2014;2014:346-358.
5. Faller H, Schuler M, Richard M, Heckl U, Weis J, Kuffner R. Effects of psychooncologic interventions on emotional distress and quality of life in adult patients with cancer: systematic review and metaanalysis. J Clin Oncol 2013;31:782-793.
6. Taso CJ, Lin HS, Lin WL, Chen SM, Huang WT, Chen SW. The effect of yoga exercise on improving depression, anxiety, and fatigue in women with breast cancer: a randomized controlled trial. J Nurs Res 2014;22:155-164.
7. Bao T, Cai L, Snyder C, et al. Patient-reported outcomes in women with breast cancer enrolled in a dual-center, double-blind, randomized controlled trial assessing the effect of acupuncture in reducing aromatase inhibitor-induced musculoskeletal symptoms. Cancer 2014;120:381-389
8. Mao JJ, Farrar JT, Bruner D, et al. Electroacupuncture for fatigue, sleep, and psychological distress in breast cancer patients with aromatase inhibitor-related arthralgia: a randomized trial. Cancer 2014;120:3744-3751.
9. Frisk J, Kallstrom AC, Wall N, Fredrikson M, Hammar M. Acupuncture improves health-related quality-of-life (HRQoL) and sleep in women with breast cancer and hot flushes. Support Care Cancer 2012;20:715-724.
10. Mustian K, Sprod L, Janelsins M, et al. Multicenter, randomized controlled trial of yoga for sleep quality among cancer survivors. J Clin Oncol 2013;31:3233-3241.
11. Bulfone T, Quattrin R, Zanotti R, Regattin L, Brusaferro S. Effectiveness of music therapy for anxiety reduction in women with breast cancer in chemotherapy treatment. Holist Nurs Pract 2009;23:238-242.
12. Li XM, Zhou KN, Yan H, Wang DL, Zhang YP. Effects of music therapy on anxiety of patients with breast cancer after radical mastectomy: a randomized clinical trial. J Adv Nurs 2012;68:1145-1155.

 


Notice: Undefined variable: nome in /home/infomama/public_html/wp-content/themes/infomama2016/single.php on line 32