Coaching e câncer

Olá! Meu nome é Elisabete, tenho 59 anos. Em maio de 2015, durante os meus exames de rotina, recebi o diagnóstico de câncer na mama esquerda. Logo em seguida fiz a cirurgia, 6 sessões de quimioterapia, 18 sessões de radioterapia e 18 aplicações de trastuzumabe (Herceptin).

Ao receber o diagnóstico de câncer, a nossa vida precisa ser alterada radicalmente. Precisei me reestruturar muito rápido e fazer mudanças em várias áreas de minha vida. E todas estas mudanças e adaptações tem que ser feitas neste momento em que nos sentimos confusas e inseguras.

Sou coach e o meu foco no Coaching eram os clientes voltados para suas carreiras, qualidade de vida, realizações pessoais. O Coaching é um processo que auxilia as pessoas a atingirem seus objetivos. Me dei conta que, naquele momento, o meu maior objetivo era enfrentar o tratamento e fazer todas as adaptações necessárias para ir em direção da minha cura. Resolvi que iria aplicar as ferramentas do Coaching durante o meu tratamento e o resultado é que eu pude ter um melhor equilíbrio e bem-estar na vida.

Através do Coaching, são estabelecidas pequenas metas realistas para o paciente. Estas metas são estabelecidas de acordo com os recursos disponíveis (financeiros, energia, tempo, etc). É estabelecido então um plano de cura personalizado, de acordo com as características e o estilo de vida de cada pessoa. Desta forma, a paciente começa a ter clareza de como deve enfrentar este momento. A cada pequena meta concluída a paciente vai adquirindo mais confiança e, mesmo que ocorram imprevistos, o que é normal, ela está ciente de seus recursos.

Isto foi realmente importante, porque eu senti que, de alguma forma, estava no controle da minha vida. Mesmo que não por completo – devido as possíveis surpresas que o tratamento pode trazer – mas me sentindo tomando algumas decisões e tendo as rédeas da minha vida.

O Coaching utiliza ferramentas específicas, que ajudam o paciente com câncer a lidar com este momento tão difícil, tais como:
– superar crenças limitantes em relação à doença, estabelecendo crenças fortalecedoras;
– desenvolver e aprimorar habilidades de enfrentamento;
– cultivar uma atitude saudável e dar perspectivas para o tratamento;
– administrar o tempo para realizar as metas;
– orientar o paciente para que obtenha mais conhecimento da doença com profissionais capacitados e para que procure equipe multidisciplinar qualificada;
– organizar atividades, inclusive aprendendo a solicitar ajuda;
– evitar autossabotagem e negatividade;
– organizar agendas para procedimentos médicos, consultas, guarda de exames;
– estabelecer prioridades n vida, respeitando valores individuais.

Hoje, sou coach especialista para pacientes com câncer. Eu não escolhi este nicho. Ele me escolheu. Eu fiz, eu estive lá. Posso afirmar que, desta forma me senti motivada, mantive uma atitude positiva e me fortaleci. Hoje a minha missão é de, através do Coaching, auxiliar e orientar estas pacientes.


Elisabete Marques
Coach
Porto Alegre, RS


Notice: Undefined variable: nome in /home/infomama/public_html/wp-content/themes/infomama2016/single.php on line 32